Está a decorrer num consultório,uma consulta de psicologia clínica entre um senhor e a psicóloga.
|

Como funcionam as consultas de psicologia clínica?

É natural que tenhas dúvidas sobre como funcionam as consultas de psicologia clínica. Por esse motivo, e também por medo de serem vistas como loucas pelos outros, muitas vezes as pessoas acabam por não procurar acompanhamento especializado na área da saúde mental, para seu prejuízo.

Assim sendo, neste artigo vou explicar como funcionam as consultas de psicologia clínica, numa tentativa de responder a eventuais dúvidas que possas ter a este respeito.

Portanto, lê o artigo até ao fim e vais ficar a saber:

  • O que esperar de uma primeira consulta;
  • Como se processa a consulta;
  • O que acontece;
  • Em que consiste a psicoterapia;
  • Em que circunstâncias se deve agendar uma consulta de psicologia clínica.

Saúde Mental

O que esperar de uma primeira consulta de psicologia clínica

Antes de mais, importa sublinhar que a primeira consulta de psicologia clínica irá diferir de acordo com:

  • a orientação ou modelo psicoterapêutico do/a terapeuta
  • as características pessoais do/a terapeuta e da pessoa que procura a consulta
  • o tipo de problemática que originou a marcação da consulta.

Contudo, há uma série de procedimentos que poderás esperar que aconteçam numa primeira consulta de psicologia, nomeadamente:

  • Primeiramente, o que acontece é a apresentação entre a pessoa e o psicólogo. Neste momento, o psicólogo fará algumas perguntas sobre informações básicas, no sentido de perceber o teu contexto de vida.
  • Seguidamente, o psicólogo irá procurar perceber quais os motivos pelos quais procuraste a consulta de psicologia. Também vai perceber quais as tuas dificuldades atuais, em vários contextos.
  • Depois disso, vai informar-te sobre o  funcionamento das consultas. Vai ainda explicar-te o modelo psicoterapêutico que utiliza.
  • Analogamente, é discutido o protocolo terapêutico e és informado/a acerca do Código Ético e Deontológico da OPP (Ordem dos Psicólogos Portugueses). Concretamente,  vais ficar esclarecido/a acerca das questões relativas à confidencialidade; é-te disponibilizado consentimento informado, bem como o contrato terapêutico.
  • Finalmente, são estabelecidos os objetivos para a intervenção psicoterapêutica, em colaboração entre ti e o/a psicólogo/a.

Em suma, numa primeira consulta é natural que sintas ansiedade e receies aquilo que vai acontecer. Importa reteres que este é o momento em que o psicólogo irá tentar recolher a informação necessária ao estabelecimento de um protocolo terapêutico eficaz e individual para ti em concreto. Poderás também falar acerca dos seus sentimentos relativos à consulta, para que o/a psicólogo/a a possa tranquilizar e esclarecer todas as dúvidas.

Como se processa a consulta

A consulta de psicologia clínica desenvolve-se através da entrevista clínica, que consiste num diálogo conduzido pelo psicólogo, no sentido de permitir às pessoas explorar as suas dificuldades e objetivos para as consultas.

É possível ainda, dependendo do tipo de psicoterapia que o psicólogo pratica, que sejam sugeridas tarefas terapêuticas para a pessoa realizar fora da consulta.

Podem ainda ser utilizados questionários para maximizar o processo de avaliação psicológica. Estes questionários podem ser entregues para a pessoa preencher em casa ou serem preenchidos na própria consulta, consoante as preferências do terapeuta e as características dos próprios questionários.

As sessões podem variar em frequência e na sua duração temporal, o que será estabelecido de acordo com o terapeuta e a problemática que a pessoa apresenta para intervenção. Habitualmente, as sessões duram entre 45 a 60 minutos, sendo que a primeira consulta poderá ser um pouco mais longa, em algumas situações.

Relativamente à frequência das sessões, ela será estabelecida cooperativamente pelo psicólogo em conjunto com a pessoa e serão ponderados alguns fatores, tais como a gravidade da situação, a disponibilidade da pessoa, etc. Assim sendo, nem sempre a frequência será semanal, embora no início da intervenção psicoterapêutica seja importante não espaçar muito as sessões entre si, para começar a sentir os ganhos da intervenção. Contudo, com o decorrer da intervenção, as sessões poderão ser espaçadas temporalmente. Ademais, o processo psicoterapêutico deverá ter um início e um fim, pelo que não é suposto que a pessoa se mantenha para sempre nas consultas. O número de consultas depende, entre outras coisas, da complexidade da problemática, bem como da adesão ao tratamento.

Homem na sua primeira consulta de psicologia

O que acontece na primeira consulta de psicologia?

Preocupa-te o que vai acontecer numa primeira consulta? Então toma nota destes aspectos que provavelmente vão acontecer:

  • Apresentação do/a psicólogo/a
  • Apresentação da pessoa que vai à consulta (nome, idade, contexto de vida)
  • Informação sobre o funcionamento das consultas
  • Obtenção do consentimento informado
  • Motivo da consulta
  • Dificuldades atuais
  • Psicoeducação sobre o modelo psicoterapêutico utilizado pelo/a profissional em questão.
  • Informação sobre as próximas consultas (periodicidade, número aproximado de sessões)

Em que consiste a psicoterapia?

De uma forma geral, a psicoterapia consiste num processo colaborativo entre a pessoa e o/a profissional, baseado sobretudo no diálogo e em outras técnicas experienciais. O objetivo da psicoterapia é ajudar a pessoa a lidar com as questões psicológicas, relacionadas com os seus pensamentos, emoções, impulsos e comportamentos. Estes processos afetam a qualidade de vida das pessoas e podem comprometer a sua saúde mental, pelo que através da psicoterapia se procura obter estratégias para lidar de forma flexível e saudável com as questões problemáticas na vida da pessoa.

Assim sendo, a psicoterapia irá permitir à pessoa:

  • diminuir o sofrimento emocional
  • aprender a lidar com as suas dificuldades com estratégias de coping saudáveis

Desta forma, existem vários tipos de psicoterapia, desde a corrente psicanalítica até ao modelo com que trabalho, o cognitivo-comportamental. A psicoterapia pode ser individual, de casal, familiar ou em grupo. E pode acontecer em sessões presenciais, ou em sessões online. Poderás saber mais sobre psicoterapia lendo a informação disponibilizada pela OPP (Ordem dos Psicólogos Portugueses) aqui.

Ademais, importa saberes que a psicoterapia feita por um/a psicólogo/a não implica prescrição de medicação. Tal poderá acontecer, quando necessário, pela parte do/a psiquiatra que possa acompanhar o processo psicoterapêutico.

Em que circunstâncias se deve agendar uma consulta de psicologia?

 

Mulher pensativa a olhar pela janela

Então, não é necessário estar louco para agendar uma consulta de psicologia. Aliás, se tens a ideia de que quem recorre a consultas de psicologia é louco estás errado/a. Sabemos hoje que corpo e mente fazem parte de um mesmo organismo, pelo que não é possível ter saúde sem saúde mental.

Desta forma, toma nota acerca das situações que te podem fazer marcar uma consulta de psicologia:

  • estiver em sofrimento emocional (sabe aqui como podes sofrer menos)
  • apresentar limitações no seu funcionamento, em um ou mais contextos (laboral, familiar, ocupacional, etc.)
  • se encontrar a passar por dificuldades com as quais não sabe como lidar
  • tiver humor deprimido, ou alterações constantes de humor
  • sofrer de ansiedade, medo e/ou de stress
  • se sentir esgotada, ou em burnout
  • sentir também dificuldade em controlar impulsos ou comportamentos (por exemplo, comida, compras, sexo, etc.)
  • notar a ocorrência de pensamentos suicidas
  • tiver problemas marcados no relacionamento com os outros
  • estiver com dificuldades em gerir determinadas emoções, como por exemplo, a raiva
  • está constantemente preocupada, ou alerta
  • está isolada, ou tem dificuldade em relacionar-se com as outras pessoas
  • tem muito medo de falhar e evita fazer as coisas para não falhar ou fá-las com imenso sofrimento e esforço
  • sofre de fobias
  • apresenta questões relacionadas com a sexualidade, orientação sexual ou identidade de género
  • outros motivos, tais como desenvolvimento pessoal, aconselhamento parental, etc.

Assim sendo, se notas que um ou mais dos motivos elencados te dizem respeito, marca a tua consulta de psicologia.

Certamente estarás a oferecer-te um espaço e momento privilegiado para cuidares de ti e da tua saúde mental.

Se ainda assim estiveres com dúvidas, contacta-me ou escreve aqui nos comentários.

Então, obrigada por leres e até já 🙂

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.